Você sabe quais prejuízos um ciberataque pode gerar para empresas?

ransomeware

Nos últimos anos, a demanda por ‘seguro cibernético’ tem crescido drasticamente. Só em 2014, seguradoras de várias partes do mundo arrecadaram algo em torno de US$ 2,5 bilhões somente em prêmios de seguros contra perdas financeiras resultadas de ciberataques. Isso está acontecendo porque, a cada dia que passa, mais empresas ficam preocupadas em relação à segurança de seus dados e sistemas corporativos.

Resgate por virus

E considerando o fato de que o cibercrime é um ‘mercado’ em constante crescimento, cujos riscos são baixos e o retorno para quem investe é bastante alto. É entendido que os gestores não podem deixar seu ambiente empresarial exposto às ameaças criadas por cibercriminosos, ou os famosos Crackers. Entenda que um ciberataque pode ter um poder devastador para uma empresa não preparada, e por isso escrevemos este post com base em uma pesquisa realizada pela Oxford Economics para você entender melhor os principais prejuízos que um ciberataque pode representar para sua empresa.

Os 6 principais prejuízos gerados pelos ciberataques

1. Interrupção das operações cotidianas

Sistemas fora

Quando a rede e o ambiente corporativo de uma empresa é comprometido por causa de uma ameaça, todas as suas operações cotidianas são paralisadas. Alguns tipos de ameaça, como o ransomware, bloqueiam o acesso aos computadores e não liberam o acesso à eles até os responsáveis pela empresa pagarem a quantia solicitada pelos cibercriminosos. Com isso, todo o sistema é afetado e na maioria dos casos a empresa se vê refém do Cracker que liberou o ransomware, pois ou paga, ou deixa de trabalhar.

2. Danos à infraestrutura de TI

Danos a infra estrutura

O principal alvo das ameaças é a infraestrutura de TI (computadores, data centers, banco de dados, etc) da empresa. Logo após infectarem um computador, elas procuram uma forma de se disseminar por toda a rede empresarial. Só quando assumem o controle total da infraestrutura é que as ameaças paralisam todas as operações. Em algumas empresas existem protocolos de backup local e remotos que ocorrem em rotinas programadas, ou de contingência, como seria o caso de um ataque, mas se a empresa não dispõe deste serviço, a empresa tem praticamente todos os dados bloqueados e se tornam reféns dos crackers. Depois do ciberataque, sem o pagamento, dificilmente a empresa conseguirá recuperar totalmente a sua infraestrutura.

3. Redução da produtividade da equipe

Perda de produtividade

Enquanto a infraestrutura de TI está comprometida, as atividades e processos da empresa permanecem paralisadas, tornando a força de trabalho improdutiva. E com um baixo rendimento, a equipe não gera valor para a empresa, nem contribui para o seu sucesso no mercado. Isto sem contar que, enquanto os colaboradores permanecem improdutivos, a organização ainda precisa arcar com suas remunerações, mesmo sem haver trabalho.

4. Danos à reputação ou valor da marca

Danos a reputação e ao valor da marca

Quando uma empresa sofre um ciberataque, ela acaba passando para os seus clientes e para o mercado uma imagem de total despreparo. Isto acaba, inevitavelmente, impactando a sua reputação no mercado, assim como o seu valor de mercado – se for uma organização de capital aberto. Além disso, ela corre o risco de perder seus clientes atuais e pagar-lhes altas indenizações e de afugentar futuros consumidores de seus produtos ou serviços.

5. Perda de competitividade no mercado

Perda de competitividade de mercado

Organizações vítimas de ciberataques também acabam perdendo, além de dados empresariais, informações altamente restritas que lhes garantem vantagens competitivas no mercado. Os cibercriminosos que têm acesso à esse ‘capital intelectual’ podem vendê-lo para outras empresas ou profissionais, fazendo com que as organizações vítimas percam as suas vantagens que lhes garantem uma posição de destaque no mercado.

6. Despesas de recuperação após o ataque

Dificuldades após ataques

Levará um tempo até a empresa se recuperar totalmente do ciberataque e dar continuidade às suas operações no mercado. Isso porque ela provavelmente terá que adquirir uma nova infraestrutura de TI, recomeçar a instalação de todos os equipamentos e softwares do zero, recuperar backups se houver, e pagar as indenizações e multas decorrentes de leis governamentais relacionadas à perda de dados. Se a empresa não tiver uma apólice de seguro, ou recursos financeiros em caixa, então ela certamente será ‘lançada para fora do mercado’. Pode ser o fim!

Conclusão

A melhor forma da empresa se proteger contra um ciberataque e minimizar as chances de sofrer com todos os prejuízos listados anteriormente é recorrendo ao uso de ferramentas de segurança modernas e confiáveis. Somente com essas soluções é que os gestores poderão ‘blindar’ o ambiente empresarial, proteger sua infraestrutura e seu capital intelectual e dar uma maior confiança aos consumidores de seus produtos ou serviços. Nós da Creondai’s Corp oferecemos soluções para proteção e gerenciamento de dados e redes de uma forma simplificada e eficaz. Nenhum de nossos clientes foi afetado pelas recentes ondas de ataques de ransomware que ocorreram no mundo.

E você, que medidas está tomando para livrar a sua empresa dos prejuízos decorrentes de um ciberataque?

Entre em contato conosco através dos nossos formulários de contato, ou através das redes sociais e conheça as soluções que a Creondai’s Corp tem a oferecer para você.

Fonte: Linux Solutions

Deixe uma resposta